Um blogue de quem gosta de ler, para quem gosta de ler.

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Já Entendi, de Gladys Mariotto

Resultado de imagem para livro já entendiGladys Mariotto formou-se como bacharel e Belas Artes e Filosofia, especializou-se em História da Arte do Século XX, em Sociologia e Ensino; fez mestrado em Filosofia/Estética e é doutoranda em Educação.

Estudou produção cultural, desenvolveu materiais didáticos e trabalhou para grandes instituições de ensino, como o IESDE do Brasil, Grupo Uninter, Grupo Expoente e Grupo Positivo. Escreveu 36 livros didáticos e paradidáticos, recebeu 34 prêmios em educação, cinema, inovação e artes.

Em 2010, foi selecionada para o Japan Prize da rede NHK, em Tóquio, o maior evento mundial de mídia educativa e, logo depois, a convite da UNICEF, apresentou-se em Havana, Cuba.

Com tal ficha de sucessos, pode-se pensar que Gladys seja uma pessoa com profunda facilidade de estudo. Nada mais enganoso, porém. Ela é portadora de Transtorno de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Além disso, aos 17 anos de idade engravidou, quando cursava o ensino médio. Resultado: seus anseios de fazer uma faculdade tiveram de ser arquivados por longos 18 anos. Criou seus filhos e aos 36 anos, resolveu ressucitar o antigo projeto de curso superior.

Logo surgiu a primeira dificuldade: por conta do longo tempo sem acesso à educação – ampliada ainda mais pelo seu transtorno – simplesmente não conseguia dar conta do conteúdo das apostilas do filho, que, à época, estudava também para o vestibular. E se deu a gênese da metodologia do Já Entendi. Ela foi manipulando todo o material, recortando-o, anotando-o, reescrevendo-o e dessa forma conseguiu facilitar e acelerar seu próprio aprendizado.

O Já Entendi é, portanto, uma metodologia de aprendizagem para autodidatas, que tem como parâmetros a heutagogia, a andragogia, a neurolinguística, a utilização de mapas mentais, o storytelling e o design (instrucional e por infográficos). Prioriza uma aprendizagem dinâmica, com ferramentas variadas para evitar a monotonia das aulas tradicionais.

Por heutagogia entende-se o processo pelo qual o estudante é o único responsável pelo próprio aprendizado, determinando seu ritmo de estudo, o que aprender. Andragogia é o estudo voltado para adultos, em contraposição à pedagogia, que é o estudo voltado para crianças. Neurolinguística é “a ciência ocupada com os mecanismos cerebrais de aprendizagem que suportam a compreensão, produção e conhecimento abstrato da língua, falada, escrita ou assinalada” (Wikipédia). Mapas mentais são esquemas gráficos, com um núcleo temático central e níveis de relações hierárquicas, estimuladoras da memória. Storytelling é a contação de uma história para se atingir um objetivo. A disposição didática e dosada do material em forma de esquemas, destaques, organização de tópicos textuais vinculados a gráficos orientados é o que chamamos de infográfico.

Realmente, quem se disponha a aprender com esse método poderá alcançar êxito em estudar sozinho. O Já Entendi pode ser aproveitado por professores de qualquer conteúdo, tanto no momento de se embasar e preparar as aulas, quanto na orientação ao aluno, para que tenha mais facilidade de estudar em casa.

Lança mão de gráficos, destaques de textos, mapas mentais – tudo muito colorido, facilitando a associação conteúdo-visualização. Fornece até um questionário (não é infalível) para indicar à pessoa se ela é de memorização mais visual, auditiva, etc., para a partir daí enfatizar quais técnicas seriam melhores para cada tipo de autodidata.

Ao longo de todo o livro, pequenas mensagens de reforço positivo são escritas, num claro objetivo de, apoiando-se na Neurololinguística, mudar a disposição mental do aprendente ou reforçar positivamente suas decisões:

“Porque imaginar  é um exercício não só do cérebro, mas também do coração. Coração, emoção, razão. A rima perfeita, a que chamamos Imaginação!” ( Jéssica Carvalho)

“Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas, ao tocar a alma humana, seja apenas outra alma humana.” (Jung)

“O livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive.” (Padre Antônio Vieira)

“Argumentar é discutir, mas, principalmente, é raciocinar, deduzir e concluir. A argumentação deve ser construtiva na finalidade, cooperativa em espírito e socialmente útil.” (Whitaker Penteado)

Incentiva o estudante a elaborar horários para o estudo, buscando a possibilidade de variar o conteúdo (aprende-se melhor quando não se dedica o tempo todo a um tipo de conteúdo apenas). E – o que os professores de português já sabem – aconselha enfaticamente a leitura como parte do processo de aquisição de vocabulário e costume com o texto escrito. Como está visto, o Já Entendi exige discipina do estudante.

A metodologia em questão ganhou vários prêmios, entre eles, o Prêmio Startup do Ano de 2014, dado pela revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios. Quem desejar mais informações, acesse o site www.jaentendi.com.br.

MARIOTTO, Gladys. Já Entendi. Editora Planeta. São Paulo, SP: 2015.